O DISCÍPULO E O RELACIONAMENTO COM O PRÓXIMO

(Texto Bíblico: João 13:1-15)

 

A questão do bom relacionamento entre os seres humanos é algo que sempre preocupou a Deus. Encontramos em sua Palavra inúmeros preceitos regulamentadores das relações entre as pessoas. Basta lembrar que os quatro primeiros dos dez mandamentos se referem à relação do homem com Deus e os outros seis mandamentos se referem à relação do homem com seu semelhante. (Deut. 5:7:21).

Um bom relacionamento com o próximo é tremendamente necessário e, ao mesmo tempo, muito difícil, mas não é impossível. Como discípulo de Jesus Cristo, algumas atitudes nos ajudam profundamente a melhorar nosso relacionamento. Vejamos algumas:

 

I.  DESENVOLVA UMA ATITUDE DE HUMILDADE

 

O oposto de humildade é soberba e arrogância. Pessoas arrogantes não conseguem conviver bem. O arrogante, ou é enfrentado ou evitado, mas dificilmente aceito ou suportado. Pessoas humildes são bem mais agradáveis.

A humildade é tremendamente necessária para que possamos exercitar o perdão. Devemos aceitar as palavras do apóstolo Paulo : "Antes, sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus perdoou em Cristo" (Ef. 4:32).

 

II. ACEITE AS PESSOAS COMO ELAS SÃO

 

Para conviver bem com as pessoas é fundamental desenvolver uma atitude de aceitação.Todo ser humano necessita tremendamente de aceitação. Aceitar uma pessoa significa reconhecer a legitimidade dos seus sentimentos e de suas relações. Qualquer pessoa sentirá rejeitada se nós lhe dissermos :"Não entendo por que você está triste". "Você não devia agir assim". Jesus aceitou as pessoas que a sociedade rejeitava. Conviveu com elas, transformou suas vidas e restaurou sua dignidade.

Evitemos criticar e condenar as pessoas; é melhor valorizá-las com elogio pelo que elas têm de bom. Assim evitaremos graves problemas de relacionamento com o nosso semelhante.

 

III. VIVA COM HONESTIDADE E SINCERIDADE

 

Uma pessoa honesta é alguém que não está dividido contra si mesmo. A pessoa sincera  não usa máscara. É autêntica, e não tenta parecer aquilo que não é. Ela é transparente em suas relações.

No livro Tornar-se Pessoa, Carl Rogers assim se expressou: " Em minhas relações com as pessoas descobri que não ajuda, afinal de contas, agir como se fosse algo que não sou. Não adianta agir calma e agradavelmente quando estou realmente zangado e crítico. Não ajuda agir como se soubesse as respostas quando não é assim. Não adianta agir como se eu fosse uma pessoa afetuosa se realmente, no momento, me sinto hostil. Nã me ajuda atuar como se eu estivesse cheio de segurança, se realmente estou amedrontado e inseguro..."

 

IV. OBEDEÇA À LEI ÁUREA

 

"Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas". (Mat. 7:12). Neste versículo Jesus nos traz aquilo que ficou conhecido como Regra de Ouro dos relacionamentos. Significa que, nos relacionamentos, nós haveremos de definir exatamente como nós gostaríamos de ser tratados. Sabendo que nós gostaríamos de ser tratados com bondade, justiça, honestidade, respeito, consideração, lealdade, tolerância... dessa forma nós trataremos as outras pessoas. Esta é a Lei Áurea dos relacionamentos entre os filhos de Deus. Peçamos ajuda de Deus para que possamos segui-la.

 

CONCLUSÃO

 

O nosso sucesso e possibilidade de crescimento como discípulo de Jesus Cristo, no lar, na igreja, no trabalho, na escola e na vida de modo geral, dependerá de termos um bom relacionamento com as pessoas. O cristão deve manter um bom relacionamento não apenas com os seus, mas também com os de fora. Uma boa família ou boa igreja é aquela em que seus membros sabem desenvolver relacionamentos sadios. As idéias expostas podem ajudar-nos  se estivermos dispostos a procurar entendê-las e praticá-las. Peçamos ao Senhor que nos ajude nesse sentido.

 

Neusa Rocha de Souza

Bel em Teologia

 

(Trancrito do livro, Maturidade Cristã, da  Junta de Missões Nacionais da CBB)

 

VOLTAR