OS IRMÃOS DE JESUS

(Esclarecimento)

 

Recentemente fui consultado por um irmão que ficou perturbado com um texto de origem católica, que se acha no final deste estudo, porque a matéria defende que Jesus não teve outros irmãos. Pediu-me então que me pronunciasse à respeito, inclusive porque eu havia escrito um artigo com o título “A Crença em Maria”, no qual argumento que Maria não permaneceu virgem depois do nascimento de Jesus e que ela havia tido outros filhos.

Para melhor entendimento deste esclarecimento, leia primeiro o texto que se acha depois deste. Vejamos então:

O autor menciona que a igreja católica ensina que Jesus não tinha irmãos e irmãs de sangue, o que não é verdade à luz da hermenêutica neo-testamentária, mas se trata sim de uma heresia que de há muito vem sendo transmitida de geração a geração do catolicismo romano.

Tudo começou oficialmente no Concílio de Latrão, no ano de 649 quando decretaram que Maria não teve filhos além de Jesus. Porque o espírito de idolatria que já estava entranhado no seio da Igreja Romana, acabou por respaldar a teologia inconsistente e descabida de que Maria não tinha tido outros filhos, com o fito propósito de torná-la como instrumento de adoração por seus fiéis. Creditando-lhe poderes e mediação que não possuem respaldo bíblico. Foi desta forma que Maria passou a ser consagrada como virgem mesmo depois do nascimento de Jesus.

O que sabemos cientificamente é que uma mulher pode ficar grávida sem ter deixado de ser virgem. Mas, por ocasião do nascimento a virgindade se desfaz e não mais se repõe. A partir daí, a igreja se encarregou de pregar esta heresia pelo mundo à fora. É uma doutrina equivocada e não tem sua teologia baseada na Bíblia, mas na tradição católica determinada no Concílio de Latrão.

Daí então, passou-se ao trabalho de descaracterizar os textos do Novo Testamento que afirmavam que Jesus tinha outros irmãos e irmãs, com o argumento de que ditos textos queriam dizer primos e não irmãos.

Os mais eruditos conhecedores do Grego, são categóricos em afirmar que as palavras que lá estão querem mesmo dizer irmãos de sangue e não primos. Mas, os católicos vêm enganando o mundo há muito tempo com essa estória de que Maria não teve outros filhos. É mais uma das mentiras do Vaticano, que tem medo e vergonha de vir a público dizer que o Concílio de Latrão foi uma farsa.

Em Mateus 1:25 está escrito que José não coabitou com Maria sua esposa enquanto Jesus não havia nascido. Logo, fica patente que depois do nascimento de Jesus, José coabitou com Maria e teve outros filhos. Muitos dos pais da Igreja, alguns do segundo século, como: Irineo, Euzébio, Tertuliano, Epifâneo, Hegesipo e Helvídio tiveram o mesmo entendimento que a Igreja Evangélica tem hoje, de que Maria teve outros filhos com José, baseado na revelação bíblica. 

Aliás, deixemos claro que a teologia que os evangélicos formulam sobre esta questão é unânime. Nenhuma denominação evangélica discorda, porque a nossa teologia está fundamentada no que está revelado na Bíblia e o que cada crente pode comprovar é que tanto nos originais gregos como nas diversas traduções da Bíblia, inclusive a Versão Católica diz que Jesus teve outros irmãos. Já a defesa de que Jesus não teve irmãos é baseada simplesmente na tradição que teve sua oficialização no Concílio de Latrão.

Examinamos os textos mencionados no argumento:

Judas 1:1 “Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados, amados em Deus Pai, e guardados em Jesus Cristo:”

Judas era irmão de sangue de Tiago conforme sua confissão. Ambos eram filhos de José e de Maria e como tal, irmãos de Jesus. Estes irmãos de Jesus se converteram depois de sua morte e ressurreição, mas acompanharam o ministério de Jesus, veja:

Mateus 12:46 “Enquanto ele ainda falava às multidões, estavam do lado de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe...”

Mateus 12:47 “Disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo.”

Depois Jesus mesmo os apresenta aos seus discípulos, veja:

Mateus 12:49 “E, estendendo a mão para os seus discípulos disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.”

As pessoas que conheciam a família de Jesus, testificavam que ele tinha irmãos, e que dois deles se chamavam Tiago e Judas, por isso Judas inicia a sua carta dizendo que era irmão de Tiago, veja:

Mateus 13:55 “Não é este o filho do carpinteiro?, e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão, e Judas?

Em muitas citações dos evangelhos é mencionada a palavra irmãos se referindo a irmãos de sangue e em outras a irmãos na fé. Jesus chama os seus discípulos de irmãos e diz também que seus irmãos são os que fazem a vontade de seu Pai. Mas, no texto a seguir é feita uma separação singular, onde o apóstolo João menciona explicitamente os discípulos e os irmãos de Jesus além de sua mãe, veja:

João 2:12 “Depois disso desceu a Cafarnaum, ele, sua mãe, seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.”

É curioso notar, que segundo o argumento católico a mãe de Jesus andava sempre com seus primos. Nunca aparece estes primos com seus tios ou tias. É muito estranho e inconsistente afirmar que estes irmãos queriam dizer primos.

Vejamos mais:

Os irmãos de sangue de Jesus o aconselham, veja:

João 7:3 “Disseram-lhe, então, seus irmãos: Retira-te daqui e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes.”

Estes mesmos irmãos não criam em Jesus, veja:

João 7:5 “Pois nem seus irmãos criam nele.”

Após a morte e ressurreição de Jesus seus irmãos se converteram e foram líderes cristãos do primeiro século como Judas e Tiago. No texto a seguir, Maria e os irmãos de Jesus, juntamente aos discípulos estão em oração, veja:

Atos 1:14 “Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.”

É muito estranho que os seus primos ficassem o tempo todo acompanhando o ministério de Jesus. Isto só pode ser atribuído a pessoas com laços de parentesco em primeiro grau. Que aí se insere relacionamento entre pais e filhos e entre irmãos, que faz com que estas relações sejam de amor fraternal, fazendo com que se mantenham unidos mesmo na adversidade. Então eles acompanhavam a mãe (Maria) que acompanhava o Filho (Jesus). 

E tem muito mais. Jesus não somente tinhas irmãos mais irmãs também, veja:

Mateus 13:55 “Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão, e Judas?

Mateus 13:56 “E não estão entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isto?”.

O autor do texto católico, afirmou citando a Bíblia que Judas cita Tiago como seu irmão (Judas 1:1) e que Paulo diz que Tiago era irmão de Jesus (Gálatas 1:19). A conclusão evidente, é que ambos são irmãos de Jesus. Contudo ele tenta negar estas citações dizendo que Maria não é a mãe deles, o que a teologia evangélica discorda totalmente.

Cita Mateus 27:56 “...entre as quais se achavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.”

Cita Mateus 10:3 “Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu;”

Haviam quatro pessoas com o nome de Tiago no Novo Testamento, vejamos:

O primeiro: (apóstolo)

Mateus 4:21 E, passando mais adiante, viu outros dois irmãos - Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, no barco com seu pai Zebedeu, consertando as redes; e os chamou.

O segundo: (apóstolo)

Mateus 10:3 Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu;

Um era filho de Zebedeu e o outro filho de Alfeu. Nenhum destes é o Tiago irmão de Judas e irmão de Jesus porque são filhos de outros pais.

Terceiro: (irmão de Jesus)

Mateus 13:55 “Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão, e Judas?

Mateus 13:56 “E não estão entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isto?”

Pronto. Neste texto está bem claro que Judas e Tiago são irmãos de Jesus, além de terem mais dois irmãos chamados de José e Simão, e irmãs que a Bíblia não mencione os seus nomes, nem quantas eram.

Quarto:

Marcos 15:40 “Também ali estavam algumas mulheres olhando de longe, entre elas Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago o Menor e de José, e Salomé;”

Esta Maria é mãe de Tiago, chamado de “o menor”, de José e Salomé e só aparece no Novo Testamento nesta citação. Ela não é a mãe de Judas e do Tiago que Judas e Paulo citaram.

Neste ponto, deliberadamente e sem fundamento o autor católico defende que esta Maria é a esposa de Alfeu, e mãe de Tiago “o menor”, de José, Judas e Simão. Só que o texto afirma apenas que ela é a mãe de Tiago “o menor”, de José e de Salomé. Não afirma nada do que defende. Nem em momento algum a Bíblia menciona “Maria de Alfeu”. Aí reside a grande tentativa de defender a teologia de que Judas e Tiago não eram irmãos de Jesus e por conseqüência Jesus não teria outros irmãos e Maria não teria tido outros filhos. 

Erroneamente o autor do texto católico menciona (Mateus 13:55-56) que vimos anteriormente para afirmar que Maria não era a mãe de Tiago e Judas, sem usar nenhum argumento convincente. E estes dois versículos se constituem no argumento mais forte da Igreja Evangélica, porque menciona explicitamente que as pessoas se arrazoavam entre si dizendo: “Não é este o filho do carpinteiro e a sua mãe não se chama Maria e seus irmãos...”. Na verdade o que as pessoas estavam dizendo, era, que conheciam bem a Jesus e todos que faziam parte de sua família.  

O restante do texto do autor católico é sem fundamento, incoerente vazio e sem argumento algum e termina dizendo que a Igreja apenas afirma uma tradição.

E de tradição já basta o que tem atrapalhado o evangelho de Jesus. E só para encerrar, Jesus confiou Maria a João e João a Maria por dois motivos. João era o mais novo dos apóstolos por quem Jesus nutria grande atenção, amor e carecia de proteção e amparo. Pediu-lhe então que cuidasse de João como se fosse um filho e João cuidasse de Maria como se fosse sua mãe. Não confiou a seus irmãos talvez porque eles não fossem convertidos ou estivessem ausentes. Além do mais, há cuidados que só uma mãe pode dar.

 

Augusto Bello de Souza Filho

Bel em Teologia

 

 

OS CHAMADOS IRMÃOS DE JESUS

 

Reflita como católico...

Faria diferença para você se soubesse com certeza que Jesus teve outros irmãos de sangue? Faria você mudar seu conceito de Maria e de José? Ele seria menos divino por isso? E Maria e José menos puros e santos? O que está por trás da questão dos irmãos de Jesus? Não seria um debate mais profundo sobre a virgindade e o casamento as provas de que Jesus não foi filho único? A igreja ensina que Jesus não tinha irmãos e irmãs de sangue. Judas Tadeu e Tiago, Simão e José e suas irmãs, citados como irmãos de Jesus, eram provavelmente primos.

Por que primos, e não irmãos?

Leia sem sectarismo nem paixão e reflita consultando sua Bíblia. Deixe a sua Bíblia falar. Ela dá a entender que Maria só teve Jesus... Senão, vejamos.

Tadeu se proclama irmão de Tiago (Jd 1,1) e Paulo chama Tiago de irmão do Senhor (GI 1,19). Então os dois irmãos seriam irmãos de Jesus... Só que nem um nem outro podia ser irmão de sangue de Jesus, porque os dois eram filhos de uma outra Maria (Mt 27,56), e o pai deles era Alfeu (Mt 10,3).

Tinham dois irmãos: José e Simão. E as outras irmãs e os quatro, Tiago, José, Simão e Judas são citados como filhos de Maria, mas não a mãe de Jesus (Mt 13,55-56). Então Maria não era mãe de nenhum dos que são apontados como irmãos de Jesus. Eram filhos de Maria, mas não a Maria mãe de Jesus.

Alfeu e Maria de Alfeu eram, isto sim, e garantidamente, os pais de Tiago Menor, José, Judas e Simão (Mt 27,56). E se Jesus não era filho deles, portanto também não era irmão de sangue dos filhos deles. Os mencionados irmãos de Jesus quando muito eram primos. Irmãos é que não eram. Outros nomes, não temos. Se isso não prova a virgindade de Maria, ao menos aponta para o fato de que Jesus foi o único filho dela.

Reflita junto com seus parentes evangélicos que usam esse assunto para combater Maria. A Igreja Católica afirma que Jesus não teve outros irmãos de sangue e se baseia nessas e noutras passagens bíblicas. Talvez fossem primos. Na Bíblia a palavra adelphos (irmão) também é usada para primo. Pela Bíblia, Jesus continua a ser o único filho que Maria teve. Isso também ajuda a entender porque não se fala de outros irmãos dele na ida para Jerusalém quando, menino, se perdeu no Templo. E explica porque, ao morrer, ele confiou Maria, sua mãe, aos cuidados de João Evangelista, filho de Zebedeu. Se sua mãe viúva tinha mais de seis filhos e filhas, por que Jesus iria entregá-la aos cuidados de quem nem era da família? Não tinha irmão com quem deixá-la. Ela ficaria só. Maria só teve Jesus. Ao afirmar que Jesus foi filho único e Maria o concebeu na virgindade, a Igreja crê nos evangelistas. Ao afirmar que ela continuou virgem, apóia-se na tradição que, diante do misteriosíssimo fato de ela Ter sido mãe do Filho de Deus, Maria e José teriam se reservado totalmente para Deus como de resto alguns grupos em Israel já o faziam. Se Maria e José pertenceram a este grupo não se sabe. Não há prova alguma .A Igreja apenas afirma uma tradição. Maria não teve outros filhos. José e ela viveram totalmente para Jesus.

 

(O autor não se identificou)

 

VOLTAR