O DISCÍPULO E O ESTUDO DA PALAVRA DE DEUS

           

O apóstolo Paulo diz  que toda Escritura vem de Deus: "Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra"" (2 Tim. 3:16, 17).

A Bíblia é fonte constante de fé, conduta, inspiração, da qual bebemos diariamente.

O salmista perguntou : "De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho?". E ele respondeu a sua própria pergunta: "Observando-o segundo a tua palavra", e acrescentou: "Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti" (Salmo 119 :9,11).

Devemos nos aproximar das Escrituras com a oração do salmista: "Abre os meus olhos para que eu possa ver as verdades maravilhosas da tua lei" (Salmo 119 :18, BLH).

A relação do discípulo com a Bíblia envolve ouvir, ler, estudar, memorizar e meditar no que Deus fala através de sua Palavra, aplicando a mensagem bíblica à própria vida.                                      

O estudo bíblico indutivo contém 3 partes:

 

I.     Observação dos fatos

 

No estudo bíblico, a leitura atenciosa do texto é fundamental. Quanto mais cuidadosa for a leitura, mais proveitosa será a compreensão do texto bíblico. Algumas questões nos ajudarão a distinguir o que é, de fato, importante: 1) Quem são os personagens da narrativa? 2) O que aconteceu? 3) Onde ocorreu o fato? 4) Quando ocorreu? 6) Como ocorreu?

 

II. Interpretação do texto bíblico

 

Compreender o que Deus nos fala através de sua Palavra é um processo que exige, além de uma leitura atenciosa, um exercício mental e espiritual para buscar o verdadeiro significado do texto bíblico.

A Bíblia é um livro extraordinário porque a sua mensagem tem relevância para os nossos dias. Para compreendermos essa mensagem, precisamos buscar o significado para a época em que foi escrita. Nessa tarefa precisamos considera o seguinte: Quem escreveu o texto bíblico? Para quem o escreveu? Em que circunstâncias o escreveu? De onde o escreveu? Quais eram os costumes da época? Essas informações históricas vão nos ajudar a vivenciar a realidade histórica da mensagem.

Ao buscarmos o significado do texto bíblico devemos ter sempre em mente o fato de que a Bíblia não é um livro como outro qualquer. É inspirado pelo Espírito Santo de Deus (II Pedro 1:20, 21) e é ele mesmo quem nos capacita a entendê-la (João 16:13).

Depois de uma leitura atenciosa e de uma interpretação correta, o discípulo deverá aplicar a Palavra de Deus à sua própria vida.

 

III. A aplicação

 

Ao aplicarmos a mensagem de Deus para as nossas vidas devemos considerar as seguintes questões: 1) Qual é a mensagem de Deus para a minha vida hoje? 2) Há algum mandamento a que preciso obedecer? 3)Há alguma promessa de que eu deva tomar posse? 4) Existe alguma advertência a observar? 5) Há algum princípio eterno?

A Palavra de Deus muda nossas vidas. Lembre-se, Deus nos deu sua Palavra para "o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça; a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra" (2Tim 3:16,17). Estas coisas estão acontecendo em nossas vidas? Deixe o estudo da Bíblia se tornar central em sua vida. Diga como Jó : "Do  preceito de seus lábios nunca me apartei, e as palavras da sua boca prezei mais do que o meu alimento(Jó 23:12).

Que o estudo da Palavra de Deus possa sustentar e revigorar as nossas vidas.

 

Neusa Rocha de Souza

Bel em Teologia

neusabello@ig.com.br

 

(Bibliografia : Maturidade Cristã da Junta de Missões Nacionais da CBB; Celebração da Disciplina de Richard J. Foster e O Espírito Santo de Billy Graham)

VOLTAR