Quem foi Cipriano?

 

Cipriano foi o herdeiro intelectual de Tertuliano, a quem chamava de mestre. Acredita-se que ele nasceu em Cartago, por volta do ano 200 d.C. onde passou toda a sua vida. Era abastado e culto, tendo se destacado como professor de retórica. Em torno de 246 d.C. Converteu-se a fé cristã e pouco tempo depois foi escolhido bispo de Cartago. Na perseguição aos cristãos que se verificou em 250 d.C., ele conseguiu se safar fugindo, contudo em 258 d.C., enfrentou heroicamente a perseguição tendo sido martirizado, decapitado e morto. Cipriano foi muito consagrado pelas gerações que se seguiram.

Cipriano ensinava que a Igreja é a única comunidade de cristãos visível e ortodoxa. “Há um só Deus e Cristo é um só, e há uma só Igreja e uma só cátedra fundada sobre a rocha pela palavra do Senhor”. “Seja quem for, ou o que for, quem não está na Igreja de Cristo não é cristão”. “Não pode ter a Deus por Pai quem não tem a Igreja como mãe”. E, “Fora da Igreja não há salvação”. Cipriano considerava Pedro como o bispo típico. Referia-se a Roma como “a Igreja principal, de onde se origina a unidade do sacerdócio”. Para ele, Roma era claramente a igreja mais eminente em dignidade, contudo não admitia a autoridade do bispo de Roma sobre os outros, mesmo em matéria de jurisdição, ou mesmo considerá-lo mais do que primeiro entre todos os bispos da Igreja.

Cipriano ensinava também que a Ceia do Senhor é um sacrifício oferecido a Deus pelo sacerdote. Referia-se ao martírio como sendo a semente que dá fruto a cento por um e o celibato voluntário, como a semente que produz sessenta por um.

 

Augusto Bello de Souza Filho

Bel em Teologia

VOLTAR