Quem foi João Calvino?

 

João Calvino foi um dos Reformadores da Igreja. A sua teologia é vista com reservas principalmente quando se refere a predestinação. Essa doutrina é a mais rejeitada dentre as doutrinas calvinistas. Mais adiante veremos como João Calvino defende essa idéia.

Calvino que viveu entre 1509 e 1564, criou um sistema teológico que recebeu o nome de "calvinismo". Os sistemas de teologia desenvolvidos a partir do seu sistema de teologia recebeu o  termo "fé reformada". E, o termo "Presbiterianismo", passou a ser a palavra usada para exprimir a forma de organização eclesiástica concebida por Calvino, que fez de Genebra o centro de execução de suas idéias. Sendo considerado como o líder de segunda geração de Reformadores.

Calvino, recebeu formação humanística, motivo pelo qual se tornou organizador por excelência do protestantismo. Enquanto esteve em Genebra, enfrentou problemas de saúde. Gostava de estudar solitariamente. Viveu na Suíça republicana e muito se interessou pelo desenvolvimento de uma igreja governada com representatividade.

Calvino, sempre se preocupava com a formulação de um sistema formal de teologia. Aceitou a autoridade da Bíblia e sua ênfase maior se baseava na soberania absoluta de Deus.

Calvino negava a presença física de Cristo na Ceia e aceitava a presença espiritual de Cristo pela fé nos corações dos participantes da Ceia. Calvino, rejeitava tudo que não pudesse ser provado pela Bíblia. Defendia também, a eleição dupla, para a salvação e para a condenação, baseado na vontade de Deus, e rejeitava qualquer concepção da salvação como fruto do mérito do eleito ou da presciência de Deus, como se Deus elegesse para a salvação aqueles que Ele sabia de antemão que creriam.

Calvino, tinha uma concepção majestosa de Deus, a exemplo de alguns dos profetas do Antigo Testamento.

As primeiras letras dos principais termos da teologia de Calvino formam o anagrama TELIP que descrevemos a seguir:

a)                     ele acentuava a Totalidade da depravação humana, entendendo que o homem herdou a culpa do pecado de Adão e nada pode fazer por sua salvação, uma vez que a sua vontade era totalmente corrompida;

b)                      ensinava que a salvação é um assunto de Eleição incondicional e independe do mérito humano ou da presciência de Deus. Assim, a  eleição é fundamentada na soberania da vontade de Deus, havendo uma predestinação dupla, para a salvação e para a perdição;

c)                     Calvino concebia ainda a Limitação da redenção, ao propor que a obra de Cristo na Cruz é restringida aos eleitos para a salvação.

d)                     a doutrina da Irresistibilidade da graça é necessária, de onde se conclui que o eleito é salvo independentemente de sua vontade, pois o Espírito Santo o dirige irresistivelmente para Cristo;

e)                     a Perseverança (ou preservação) dos santos é o ponto final do seu sistema; os eleitos, irresistivelmente salvos pela obra do Espírito Santo, jamais se perderão.

 

Calvino quando se converteu e passou a adotar as idéias da Reforma, dispensou  imediatamente o dinheiro das rendas eclesiásticas.

Em Basiléia, concluiu a sua obra chamada as Institutas da Religião Cristã, que se constituíram na maior expressão acabada da teologia reformada. Nesta obra, ele pôs os fundamentos de duas ênfases reformadas: a importância da doutrina e a centralidade de Deus na teologia cristã. Suas cartas e outros escritos, integram 57 volumes do Corpus Reformatorum, e existem 2.000 de seus sermões. Foi um incentivador da educação e em substituição à Academia, ele criou em Genebra um sistema de educação em três níveis, hoje conhecida como Universidade de Genebra, fundada em 1559. Esta visão influenciou a educação até nos Estados Unidos, quando puritanos, calvinistas, criaram escolas no novo mundo.

Calvino, era eloqüente pregador. Seus comentários sobre os livros da Bíblia são estudados até hoje por seus seguidores. O modelo de administração da igreja genebrina tornou-se modelo para as igrejas reformadas.

Calvino também influenciou o avanço da democracia, porque aceitou o princípio representativo da direção da Igreja e do Estado. Entendia que a Igreja e o Estado foram criados por Deus para o bem do homem, motivo pelo qual deviam, cooperar para o progresso do cristianismo. Calvino, estimulou o capitalismo, quando deu ênfase a vocação como chamada divina e a importância que dava à frugalidade e ao trabalho.

O estudo da história da expansão do Evangelho mostrará que aqueles que professam a fé reformada tiveram parte importante nos grandes reavivamentos do passado e nos movimentos missionários modernos.

O trabalho que Calvino realizou frutifica até hoje. Foi, sem sombra dúvida, um reformador internacional, cujo trabalho influenciou os Presbiterianos, Reformados e Puritanos.

 

Augusto Bello de Souza Filho

Bel em Teologia.

 

Bibliografia:

E. Cairns, Earle; O Cristianismo Através dos Séculos; Sociedade Religiosa Edições Vida Nova; São Paulo; 1984.       

VOLTAR